quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Papéis picados

Eh Borboleta, quem te disse que ia ser fácil?

Me disseram certa vez que o segredo é saber a hora de parar.

Parar dói, mas insistir numa situação que não tem como ir adiante pode doer ainda mais, mais pra frente.

Muita gente se assusta com a velocidade com que eu saio de uma relação e entro em outra. Isso acontece às vezes. Não porque eu não saiba ficar sozinha ou porque cure carências usando as pessoas (como tem muita gente fazendo por aí). A questão é que, por mais que a gente se envolva, se apaixone, fique de quatro, tem sempre um momento em que dá pra parar. Dali em diante, ou você está arriscando tudo em algo completamente novo, ou se guarda e deixa que passe.

Não que as coisas passem assim, de um dia pro outro. Tem tons de voz que ainda me balançam, sorrisos e olhares também. Tem até carinho na nuca que eu não posso pressentir chegar, porque me derreto mesmo sem acontecer, como uma criança que pressente sentir cócegas e já cai na gargalhada antes mesmo que alguém a toque.

É assim. Certas coisas se sobrepõem, é bem verdade, mas outras ficam. E vão ficar pra sempre. Mesmo que se joguem todos os papéis picados na lixeira.

Não é fácil tirar alguém da nossa vida. E a gente pode até optar por não deixar a pessoa ir, mas certas coisas mudam e não voltam a ser iguais, nunca mais.

Pessoas especiais não deviam partir e a distância necessária pra que tudo fique bem pode ser estabelecida sem que se perca o contato.

Pensa nisso.

Eu ganhei pessoas muito especiais nos últimos meses. Não vou deixar elas pertirem assim. Não quero que elas saiam da minha vida. É só sentir a distância necessária para que certas coisas não façam doer.

E segue adiante, que o tempo urge!

Um comentário:

thalita peron. disse...

é... tem coisas que ficam e, às vezes mesmo ficando, não voltam nunca mais!
certos sentimentos conseguem mudar sem mesmo sair do lugar que ocupam aqui dentro.
fui tomar uma na pista hoje, pela manhã, e pensei que talvez eu esteja precisando de um verão... daqueles!!!
pra dar aquelas sacudidas sentimentais que eu adoro!
essa coisa clichê de 'eu-gosto-e-ela-tbém-então-vamos-ficar-juntas', ou 'eu-gosto-ela-não-gosta-por-isso-não-deu-certo' sempre foi óbvia demais.
deixa a primavera passar que o tempo urge.