sábado, 9 de agosto de 2008

Aí, só não me irrita, tá?

Eu já expliquei...


Ai Juiz de Fora...

Só aqui eu encontro amigos pela rua em noites de domingo, de segunda, de terça, tudo sem ter que fazer um telefonema, combinar horários...

Vejo gente passando dentro do ônibus e em cinco minutos estamos sentados ao redor de uma mesa, rindo das coisas da vida. Rir esses dias todos me fez um bem incomensurável.

Muita falta dessas pessoinhas com quem eu dividia todos os meus dias.

Bom se sentir em casa novamente.


Mas caaaansa...

E então, levemente, as coisas voltam a irritar esse pequeno ser de humor duvidoso, quase bipolar.

Nada que uma semana com vovó não cure.

Beijos na Kekê!

Aquele abraço!

(Sorte de hoje: Você será uma pessoa bem viajada, seja por lazer, seja por trabalho)



"
Eu tenho um violão para me aconpanhar
Tenho muitos amigos, eu sou popular
Eu tenho a madrugada como companheira
A saudade me dói no meu peito me rói
Eu estou na cidade eu estou na favela
Eu estou por aí sempre pensando nela"
(Zé Keti)

Um comentário:

_peron. disse...

não sou só eu que leio isso aqui, mas pelo menos só eu mostro as caras nos comentários.
é igual vitrine de loja cara: o povo só olha e comenta o preço.
às vezes olha o preço SÓ pra comentar.

está comprovado que uma vida regada à café cansa de vez em quando (mas vicia de vez em quando também): café muzik, café acústico, café no coquetel do balcão, café da mata até as 6 da manhã...e para relaxar, ainda tem café na padaria de manhã.

com tanta cafeína no mundo, ainda tem gente que gosta de toxicos.
sentirei sua falta na goa.
aquele abraço.